“A alegria e a inteligência emocional que tanto precisamos para viver bem, começam a partir de um intestino saudável. Por isso, só nos resta garantir a esse órgão matérias-primas de primeira qualidade. E o intestino, inteligentemente, se encarregará de garantir nossa saúde e nossa felicidade.” (Dr. Hélio Póvoa)

Muito mais que um órgão de passagem, o intestino – sistema gastrointestinal ou digestivo regula não só a imunidade como também o sono, humor e outras funções orgânicas. Segundo a medicina Ayurvédica, a Tradicional Chinesa e a Tibetana, o intestino apresenta uma relação direta com o cérebro, conhecida pelas medicinas milenares, como intestino sendo “O segundo cérebro”. Somente, nas últimas décadas os cientistas têm estudado sobre o assunto. Na virada do século Pasteur (pai da microbiologia, teoria microbiologia das doenças, pasteurização e criador da vacina contra raiva) e Ilya Ilyich Mechnikov Russo – Ucraniano (recebeu o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 1908 e autor do Livro Immunity in infectious Diseases, trabalhou Pasteur últimos 20 anos da sua vida) defendiam que para ter uma boa saúde era preciso ter um intestino sadio.

Recentemente, chegaram ao mercado uma diversidade de probióticos, conhecidos como bactérias intestinais do bem ou flora bacteriana saudável, a frente grandes indústrias farmacêuticas estão a produzi-los em larga escala como é o caso da Nestlé (Fiber Mais Flora), Aché (prolife), Invictus (Lacto-pró), Vitaform (SIM Fort), entre outros. Será que agora surgirão estudos relacionados com a flora bacteriana intestinal e saúde?

Apesar da produção em escala crescente de probióticos industrializados, pouco se sabe ou se tem divulgado sobre saúde intestinal. Raros profissionais médicos e/ou nutricionistas conhecem a importância do equilíbrio da flora bacteriana saudável e sua influência na saúde. Seja pela pouca importância, pela escassez de informações ou carência de patrocínio em trabalhos científicos.

O intestino é um ‘órgão inteligente’ e é o único no corpo humano capaz de executar funções independentemente do sistema nervoso central (SNC), tem uma relação funcional extensa é responsável pela produção de neurotransmissores como serotonina, produção de hormônios como a melatonina, o hormônio do sono e está diretamente relacionado à rede neuroendócrina e a produção de endorfinas.

Diversas doenças têm sido relacionadas a disfunção intestinal como o caso:

  • Autismo e Transtorno de déficit de atenção
  • Enxaquecas
  • Depressão, compulsão, ansiedade, síndrome do Pânico e outros
  • Alergias e Intolerâncias Alimentares
  • Tireoidite Hashimoto
  • Sinusites e resfriados frequentes
  • Obesidade
  • Esteatose hepática (gordura no fígado)
  • Fibromialgia
  • Infecções Urinárias e Genitais
  • Candidíase de repetição
  • Doenças Inflamatórias intestinais
  • Alzheimer

A saúde do intestino não está somente relacionada ao bom fluxo intestinal. É preciso muito mais atenção e cuidados e a instituição de uma terapêutica eficiente dependerá, em alguns casos, mais do que uma dieta ou orientação nutricional.

Para você que tem interesse em ter saúde e qualidade de vida comece desde agora a cuidar do seu intestino, saiba mais sobre:

  • A conexão entre cérebro e intestino
  • Os sinais e sintomas que podem identificar disfunção intestinal
  • A importância da alimentação na saúde cerebral
  • Quais são os alimentos mais importantes para a saúde intestinal
  • Como restaurar um equilíbrio funcional intestinal

 

Se você se surpreendeu com o que acabou de ler vai ficar encantado quando se aprofundar sobre o tema.

Cuide do seu intestino e tenha uma boa saúde!